RUGENDAS. (Johann Moritz) HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

     
English   
 
   

Clique nas imagens para aumentar.



VASCONCELOS. (António de) ANACEPHALAEOSES id est, SVMMA CAPITA ACTORVM REGVM LVSITANIAE.

Auctore P. Antonio Vasconcellio Societatis Iesv Sacerdote, Theologo Olysipponensi. Accesserunt Epigrammata in singulos Reges ab insignis Poeta EMMANVELE PIMENTA eiusdem Societatis. Et illiorum effigies ad viuum expressae, curâ, & sumptibus Emmanuelis Sueyro Regiae Catholocae Maiestatis Aulici Familiaris, Equitis militiae Saluatoris nostri Iesv Christi, & Domini de Voord. ANTVERPIAE Apud Petrum & Ioannem Belleros. Anno M. DC. XXI. [1621]

In 4.º gr. (de 24,5x18 cm) com [16], 597 [aliás 600], [24] pags + [2] pags. intercaladas no caderno L.

Encadernação da época em pergaminho flexível com lombada de cor negra e rolada com ferros a ouro.

Ilustrado com magnifico anterrosto gravado com as armas de Portugal ao centro, uma bela gravura que simboliza a Lusitânia, seguindo-se 24 retratos de rainhas e príncipes, entre os quais, os retratos do Conde D. Henrique, da Rainha Santa Isabel, do Príncipe D. Fernando filho de D. João I, da Princesa D. Joana filha de D. Manuel e os retratos dos primeiros 20 monarcas de Portugal, até Filipe III.

Exemplar com título de posse (rasurado) da época à cabeça do anterrosto armoriado.

Obra com uma relação (da pag. 373 a 381) dos duques, condes e marqueses de Portugal; da pag. 383 a 562 uma descrição do reino de Portugal, da pag. 563 a 588 a descrição da viagem de Filipe I a Portugal; e da pag. 589 a 597 o discurso do doutor P. Alphonso Mendez na Universidade de Évora “Oratio Habita” a Filipe II.

Inocêncio I, 283. “P. ANTONIO DE VASCONCELLOS, Jesuita, Prefeito e Reitor da Univ. d’Evora, Preposito da Casa de Faro, e Visitador das ilhas etc. - N. em Lisboa em 1554, sendo filho de Bartholomeu Froes Perestrello, Fidalgo da Casa Real, e de sua mulher D. Sueira de Vasconcellos. M. em Evora a 12 de Julho de 1622, depois de uma prolongada enfermidade que o teve na cama dez annos successivos. – E. Tractado do Anjo da Guarda. Douto e pio devia ser, quem na disposição de saude que o auctor tinha (já adiantado em annos e enfermo de cama, da molestia de que faleceu) ao emprehender a obra de que se tracta, chegou a concluil‑a, com tão vasta erudição sagrada e profana, e com tão afervorado espirito, pura linguagem, e elegante estylo como n’ella se admiram. O exemplar que possuo d’este Tractado, bem acondicionado e novamente encadernado, custou‑me 2:400 réis, e é este o preço por que hão corrido os poucos que apparecem no mercado. É tambem muito apreciada, principalmente entre os estrangeiros, a sua: 1585) Anacephalœoses, id est summa capita actorum Regum Lusitanœ. Antuerpia, apud Petrum & Joannem Belleros. 1621. 4.º de 597 pag. com os retratos dos reis gravados a buril. Esta obra anda cotada em 30 francos no Catalogo de Shwabi n.º 1337: em Portugal tem corrido por preços mais modicos, que regulam quasi sempre entre 1:600 e 2:400. «Na Anacephalæoses resumiu o auctor as nossas chronicas, accrescentando e mudando o que lhe pareceu, não sei se mais certo, se mais glorioso e plausivel. O estylo é florido, e quasi poetico, e refere as acções que mereciam censura, dourando‑as com clausulas elegantes e agradaveis.» (Marquez d’Alegrete.) Diz o academico Leitão Ferreira nas Noticias Chronologicas da Universidade de Coimbra pag. 283, que o primeiro auctor dos retratos dos reis, que traz o P. Vasconcellos nas Anacephalœoses, e que são de buril mais polido que os que haviam dado á luz Pedro de Mariz nos seus Dialogos e Fr. Bernardo de Brito nos Elogios (se parecidos, ou não, outrem o julgará) foi Manuel Sueiro, auctor dos Annaes de Flandres. Alguns chegaram a persuadir‑se de que as chapas dos ditos retratos eram as proprias que depois serviram na obra Philippus Prudens de Caramuel. Examinei e confrontei uns e outros, e em resultado digo que me parece que a maior parte das ditas chapas são effectivamente as mesmas, porém que foram retocadas para servirem no Philippus. Ha porêm os retratos de D. Pedro e D. Manuel, que fazem nas cabeças considerabilissima differença, e accusam a existencia de chapas totalmente diversas. Tambem o retrato de Philippe IV é totalmente novo, sendo o das Anacephalœoses tirado em os annos juvenis d’aquelle monarcha, e o segundo na sua virilidade.”

Barbosa Machado I, 411. Sommervogel 8, 483. Palau (2a ed) 353041.

Referência: 1312JC023
Local: M-9-E-1


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
Multibanco PayPal MasterCard Visa American Express

Serviços

AVALIAÇÕES E COMPRA

ORGANIZAÇÃO DE ARQUIVOS

PESQUISA BIBLIOGRÁFICA

free counters