RUGENDAS. (Johann Moritz) HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

     
 
   

Clique nas imagens para aumentar.



MONTERROIO MASCARENHAS. (José Freire) ORAN CONQUISTADO, OU RELAÇAM HISTORICA,

Em que se dà noticia desta Praça, da sua conquista, e da sua perda, e restauração, colhida de vários avizos, E DEDICADA AO EXCELLENTISSIMO SENHOR D. DOMINGOS CAPECELATRO, Marquez de Capecelatro, filho dos Excellentissimos Duques de Siano, do Conselho de Sua Magestade Catholica na Sua Camara de Indias, e seu Embayxador na Corte de Portugal. Por J. F. M. M. LISSBOA OCCIDENTAL, Na Officina de Pedro Ferreira, Impressor da Serenissima Rainha N. Anno de 1732.

In 8º de 20x15 cm. com 20, [iii] págs.

Encadernação do Séc. xx com lombada em percalina.

Ilustrado nas últimas iii páginas com a ordem de batalha do exército espanhol nesta expedição de Oran, a planta da praça e a explicação das figuras.

JUNTO COM: ORAN CONQUISTADO, E DEFENDIDO, RELAÇAM HISTORICA Em que se referem diariamente os sucessos militares, que tem havido depois da conquista desta Praça, no seu território, atè a Armada Real delRey Catholico se recolher aos portos de Hespanha. PARTE II. Por J. F. M. M. LISBOA OCCIDENTAL, Na Officina de Pedro Ferreira, Impressor da Augustissima Rainha nossa Senhora. Anno do Senhor M. DCCXXXIII. (1733) Com todas as licenças necessárias, e Privilegio Real.

In 8º de 20x15 cm. com 16 págs. Acondicionado em pasta com a lombada em pano.

Exemplares com restauros marginais e leves falhas de papel, sem afectar a mancha gráfica, na 1ª parte e trabalhos de traça nas margens sem afectar o texto, na 2ª Parte.

Obra raríssima completa com as duas partes e as gravuras. Descreve a conquista pelo exército espanhol da praça de Oran, situada no Norte de Africa e os confrontos militares que se seguiram. 

Orão é a segunda maior cidade da moderna Argélia. Depois de tentativas falhadas dos portugueses para conquistar a cidade, em 1501, os Espanhóis ocuparam-na desde 1509 a 1708, tendo perdido o seu domínio devido à Guerra da Sucessão de Espanha que começou em 1700 com o falecimento de Carlos II, sem descendência. Assim uns dos primeiros designios da nova dinastia, que reinava em Espanha, foi a reconquista deste ponto estratégico do Mediterrâneo, acontecimento que é relatado pormenorizamente nestes folhetos e que levou a um período de domínio de Espanha entre 1732 e 1792. A espanha acabou por desistir desta parcela de território por causa da cidade ter sofrido grandes destruições devido ao terramoto de 1790.  

José Freire Monterroio Mascarenhas (Lisboa 1670 - 1760) escritor e um dos pioneiros do jornalismo em Portugal. Foi redactor da «Gazeta de Lisboa» que iniciou a publicação em 1715 e publicou grande número de folhetos dando circunstanciadas notícias de todos os mais importantes acontecimentos da sua época, na Europa e em diversas partes do Mundo.

Inocêncio XII, 337 Parece que Monterroyo fez duas edições differentes no mesmo anno. Ambas são muito pouco vulgares, como em geral os papeis de Monterroyo.

Inocêncio IV, 348 Oran conquistado e defendido. Relação historica em que se referem os successos que tem havido depois da conquista d’esta praça no seu territorio etc. Por J. F. M. M. Parte 1.ª Ibi, pelo mesmo 1732. 4.º de 23 pag. Parte 2.ª Ibi, 1733. 4.º de 16 pag.

Work on the Spanish military expedition to Oran, in North Africa, describing the army and the city under siege.

Referência: 1405JC009
Local: M-4-C-7


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
PayPal MasterCard Visa American Express
free counters