RUGENDAS. (Johann Moritz) HABITANTE DE GOYAS. Quadro a óleo pintado sobre madeira.

     
English   
 
   

Clique nas imagens para aumentar.



MICHELOTTI, Giuseppe Teresio. ENSAYO HYDROGRAPHICO DO PIEMONTE

POR JOSE THEREZIO MICHELOTTI. ANTIGO PROFESSOR DE MATHEMATICA NA UNIVERSIDADE DE TORIM. TRADUZIDO PELLO P. FRANCISCO FURTADO DE MENDONÇA OFFERECIDO A S. A. R. O PRINCIPE DO BRASIL REGENTE DE PORTOGAL. EM ROMA POR ANTONIO FULGONI NO ANNO DE MDCCCIII. [1803].

In 4º grande (de 32x22,5 cm) com xv, 118 págs.

Encadernação da época, inteira de pele marroquim vermelho, com finos ferros a ouro nas esquadrias das pastas e na lombada. Folhas de guarda da época em papel decorativo.

Ilustrado com 4 fólios desdobráveis, contendo 6 mapas do Piemonte gravados por Andrea Cattaneo. Exemplar com leves vestígios de humidade no texto e nos mapas, sem afectar texto.

Fólios desdobráveis: 1 mapa 50x83 cm com “Carta del Piemonte e degli Stati Annesi. Architetto Andrea Cattaneo diresse. Torino 1800”; 2 mapas em 1 fólio com “Corso della Dora Riparia” Tavola I e Tavola II, de 20x70 cm cada um; 2 mapas em 1 fólio com “Corso della Dora Riparia” Tavola III e Tavola IV, de 20x70 cm cada um; e Tavola V “Rappresenta questa Tavola: Un Fiume navigabile com varie sue diramazioni senza che rest’interrotto il corso delle Barche; come si vede nel Pó, e nel Tanaro”.

Importante obra da época patrocinada por D. João VI (enquanto Principe do Brasil) com grande relevância científica e técnica de acordo com a extensa recensão crítica publicada na época in "The Monthly Review, Literary Journal, enlarged, from September to December, inclusive. London. MDCCCVI [1806], Art. IX. (págs. 495-502)."

Adaptação do conteúdo da análise de The Monthly Review:

“As grandes cadeias de montanhas que ser estendem através da maior parte do antigo principado de Piemonte, bem como as vizinhas Dauphiné, Savoy, Le Valais e Suíça, dão origem a inúmeros rios e correntes que, no seu percurso até ao Rio Pó, apresentam um leque variado de tipos hidráulicos que despertam o interesse de qualquer engenheiro hidráulico.

As cascatas e correntes fortes delas resultantes trazem importantes vantagens para a agricultura e manufacturas, praticamente sem esforço ou custos. Muitas das obras projectadas por Michelottu e engenheiros mergulhadores foram efectuadas, apesar de alguns dos projectos terem sido, infelizmente, suspensos devido à guerra.

O autor deste livro, em conjunto com o pai e o irmão, possuía uma larga experiência neste campo e sugeriu o levantamento topográfico e hidráulico dos cursos de água do Piemonte, de forma a avaliar a utilização das suas águas e correntes.

Um plano tão abrangente e ao mesmo tempo exigindo uma grande precisão nos detalhes era uma tarefa difícil de ser levada a cabo apenas por uma pessoa. Assim o autor decide escrever este “Ensaio” para avaliar como o público iria receber este importante trabalho.

Começa por salientar as fontes dos rios de Piemonte ao longo das diferentes cadeias de montanhas, que quase rodeiam na totalidade o vale do Rio Pó. Após algumas notas interessantes sobre os principais fenómenos causados pela topografia do terreno, o autor examina a natureza e origem das diversas substâncias transportadas pelos rios.

O capítulo IV inclui reflexões sobre alguns dos meios para alargar as vantagens decorrentes dos rios de Piemonte, especialmente as que diziam respeito à navegação nos rios Pó e Tanaro, a qual seria aparentemente difícil e frequentemente extremamente perigosa.

Para evitar estas inconveniências, o autor recomenda, em geral, a construção de um canal navegável, quase paralelo ao curso do rio, insistindo também nas vantagens que poderiam ser obtidas apenas com o alargamento de alguns canais de irrigação já existentes. Isto iria alargar em muito a comunicação interna a um custo relativamente insignificante.

Após enumerar os diferentes métodos de distribuição das águas do canal pelas partes interessadas, Michelotti descreve as disposições necessárias à sua preservação.

As notas anexas a este Ensaio aumentam bastante o seu valor. Entre elas encontramos tabelas comparativas de pesos e medidas, as alturas das principais montanhas do Piemonte e algumas observações sumárias sobre escritos hidrográficos.

São dadas informações interessantes sobre a população das diferentes províncias de Piemonte, e apontada a sua relação próxima com o grau de vantagem de cada uma delas devido aos canais que as cruzam. São também incluídos detalhes importantes sobre o fabrico da seda e o cultivo do arroz, bem como explicações sobre o projecto de comunicação entre o Pó e a parte navegável do Dora, em conjunto com a estimativa das despesas do projecto.

Em trabalhos desta natureza o estilo é uma das últimas coisas a ser considerada. No entanto, a escrita do autor possui a simplicidade e clareza de quem conhece em profundidade o assunto sobre o qual escreve.

A tradução para português, feita aparentemente pelo editor do original, possui uma exactidão que não seria possível sem a proximidade que existe entre as duas línguas [italiano e português].”

O Padre Francisco Furtado, tradutor da obra, nasceu em 1740 vindo a falecer em Roma em 1826 (?) de acordo com Inocêncio (II, 282): «O pouco que hoje se sabe da vida do P. Furtado póde vêr se na Biblioth. Scriptorum Societ. Jesu Supplementum, Romæ, 1816, a pag. 35. Vej. também o que diz J. M. da Costa e Silva no seu Ensaio Biogr. Critico, tomo VI de pag. 325 a 363, onde vem suficientes extractos da versão das Geórgicas, e do Memorial acima citado. No Ramalhete, vol. V, a pag. 409 saiu também uma brevíssima comemoração acerca do P. Furtado, pelo Sr. Martins Bastos, a qual constando apenas de nove linhas, encerra não menos de três gravíssimas inexactidões; a primeira de que da tradução das Geórgicas só existem os dois primeiros livros, quando é certíssimo existirem todos quatro: a segunda, que o Padre Furtado vivia ainda aquele tempo (1842); e a terceira, que residia então na cidade de Viseu!».

 Essay on the Hydrography of Piedmont, by G. T. Michelotti, former Mathematics Professor at the University of Turin, dedicated to his Royal Highness the Prince of Brazil, Regent of Portugal, in Rome by Antonio Fulgoni in the year of 1803.

Translated into Portuguese by Father Francesco Furtado de Mendonça.

In 4º big; 32x22.5 cm; xv, 118 pp.

Binding: contemporary full leather in red Marroquin: gilt tools on the boards and spine. Contemporary decorative end papers.

With 4 folded folios containing 6 maps of Piedmont engraved by Andrea Cattaneo.

Copy with slight damp stains on text and maps but not affecting the reading.

Folded folios:

• 1 map 50x83 cm: “Carta del Piemonte e degli Stati Annesi. Architetto Andrea Cattaneo diresse. Torino 1800”;

• 2 maps in one folio: “Corso della Dora Riparia” Tavola I and Tavola II, 20x70 cm each;

• 2 map in one folio: “Corso della Dora Riparia” Tavola III and Tavola IV, 20x70 cm each;

• Tavola V “Rappresenta questa Tavola: Un Fiume navigabile com varie sue diramazioni senza che rest’interrotto il corso delle Barche; come si vede nel Pó, e nel Tanaro”.

Important work at the time, sponsored by His Majesty King D. João VI (as Prince of Brazil), with high scientific and technical importance, as per the long review published at the time in The Monthly Review, Literary Journal, enlarged, from September to December, inclusive. London. MDCCCVI [1806], Art. IX. (pages 495-502).

Adaptation from The Monthly Review text:

“The vast chains of mountains which extend throughout most part of the former principality of Piedmont, and the neighbouring lands of Dauphiné, Savoy, Le Valais, and Switzerland, originate numerous rivers and torrents, which in their course to the River Po present a wide range of hydraulic types that could be of interest for any hydraulic engineer.

The waterfalls and resulting strong currents of these streams offer to agriculture and manufactures important advantages, at little trouble or expense. Many extensive works, projected by Michelotti and divers engineers, were actually carried out, although some other projected works have been, unfortunately suspended due to the war.

The author of this work, together with his father and brother, had a wide experience on this field and suggested the topographic and hydraulic survey of the Piedmont streams, in order to evaluate the several uses of their waters and currents.

A plan covering such a wide field, and at the same time requiring such accuracy of details, was a hard task for just one person. Thus the author decided to write this “Essay” to evaluate how the public would receive such an important work.

The work starts by pointing out the sources of the rivers of Piedmont, within the different chains of mountains, which almost encircle the valley of the Po. After a few interesting notes about the main phaenomena caused by the topography of the terrain, the author examines the nature and origin of the several substances carried out by the rivers.

Chapter IV contains reflections on some of the means of extending the advantages derived from the rivers of Piedmont mainly those relating to the navigation of the Po and Tanaro, which appears to be difficult, and not unfrequently extremely hazardous.

To obviate these inconveniences, the author generally recommends the formation of a navigable canal, nearly parallel with the course of the river, also insisting on the important advantages which might be obtained by merely widening some of the already existing canals of irrigation, which would, at a comparatively trifling expense, open an extensive internal communication.

After having enumerated the different methods of distributing the waters of the canal among the parties interested, Michelotti notices the provision made for their preservation.

The notes attached to this Essay considerably augment its value. Among them comparative Tables of weights and measures, the elevations of the principal mountains of Piedmont, and a few cursory remarks on some hydrographical writings.

They provide interesting information concerning the state of population in the different provinces of Piedmont, and point out its intimate connection with the degree of advantage derived by each from the canals with which they are intersected. Some valuable details are inserted concerning the silk manufacture and the cultivation of rice, and explanations are also given of the projected communication between the Po and the navigable part of the Dora, together with the estimates of the probable expenses of the undertaking.

In compositions of this nature, the style is one of the last objects to be taken into consideration. This author’s manner of writing, however, possesses that simplicity and clearness which might naturally be expected from his thorough acquaintance with the subject on which he treats.

The Portuguese translation, the author of which is apparently also the editor of the original, shows a degree of exactness which, without the close analogy subsisting between the two languages, would be wholly unattainable.”

Referência: 1511JC004
Local: M-8-A-12


Caixa de sugestões
A sua opinião é importante para nós.
Se encontrou um preço incorrecto, um erro ou um problema técnico nesta página, por favor avise-nos.
Caixa de sugestões
 
Multibanco PayPal MasterCard Visa American Express

Serviços

AVALIAÇÕES E COMPRA

ORGANIZAÇÃO DE ARQUIVOS

PESQUISA BIBLIOGRÁFICA

free counters